Gustavo Martins, o açoriano que fez a mala duas vezes para jogar no Estoril Praia

Janeiro 2, 2018

"A minha mãe desfez a mala porque não queria que eu viesse"

A mala estava feita. A mãe desfez. Gustavo Martins voltou a colocar tudo lá dentro e embarcou em busca do sonho. Aos 18 anos, o médio-ofensivo deixou os Açores para integrar a equipa de Juniores do Estoril Praia. Entrevista de Cristina Caeiro

Como foi o dia da partida dos Açores?

Gustavo Martins - Fui um dia complicado. Tinha voo às 11 da manhã e lembro-me que horas antes nem tinha nada preparado para poder seguir viagem. A minha mãe tinha desfeito a mala porque não queria que eu viesse para o Estoril. Quando ela me disse isso fiquei chocado. Duas horas antes do voo, ela mudou de ideias e deixou-me seguir viagem, mas foi muito complicado pois a despedida foi algo que nunca mais esquecerei.

Choraste (sorrisos)?

GM- Sim chorei. Foi um momento muito complicado para mim, mas sabia que era o melhor a fazer. Na hora de partir pensei se era mesmo aquilo que queria para a minha vida e se conseguia estar longe dos meus pais. Acabei por tomar a decisão certa.

"Na hora de partir pensei se seria mesmo aquilo que queria para a minha vida e se conseguia estar longe dos meus pais"

Este sonho já mudou um bocadinho a tua vida. Tiveste de te readaptar... 

GM- Sim, mudou a minha vida porque vim para o continente, mudei de ambiente, deixei para traz em especial a família e amigos, mas como fui muito bem recebido aqui no Estoril, tudo ficou mais fácil.

Como foi o teu primeiro dia aqui no Estoril Praia? 

GM - No início foi um pouco estranho, não conhecia ninguém, sentia a falta dos meus pais e dos meus amigos e não tinha ninguém com quem pudesse estar para me poder sentir melhor. Mas com o decorrer do tempo as coisas mudaram, fui-me habituando e conheci pessoas que me ajudaram a sentir-me integrado.  A ajuda dos meus colegas de casa foi importante porque também eles sentiam o mesmo, estávamos, e estamos, todos longes das nossas famílias.  Claro que há saudades, mas o que faço para passar os momentos de saudade e os momentos mais difíceis é lembrar-me que estou aqui para realizar um sonho e que também o faço por eles.

De onde vem o gosto pelo futebol?

GM - Herdei o gosto pelo futebol do meu pai. lembro-me de ver o meu pai jogar desde muito miúdo e agradeço-lhe tudo o fez que por mim e tudo o que me ensinou, uma vez que jogo futebol desde os 5 anos. 

Conta-nos um pouco do teu percurso até aqui.

GM - O meu percurso no futebol passou por jogar em três grandes clubes da Ilha Terceira, nos Açores. Comecei a jogar com 5 anos no Sport Club Praiense e fiquei lá até aos 10 anos. Depois fui para uma nova equipa, a Juventude Desportiva Lajense, onde fiquei duas épocas. Aos 12 anos, recebi um convite para ir para o Sport Club Lusitânia, um clube com grande tradição nos Açores. Foi lá que me sagrei campeão de ilha e pude disputar os regionais. Aos 16 anos optei por voltar ao Juventude Desportiva Lajense, fui bicampeão, mas desta vez fui campeão regional e acabei por vir disputar os nacionais. Também fui seleccionado para representar a associação da Ilha Terceira com 12 anos e assim o fiz até aos 16.

Porque escolheste o Estoril Praia?

GM - Escolhi jogar aqui porque quando vim a um estágio de observação gostaram de mim e perguntaram se queria ser jogador do Estoril Praia. Claro que não havia maneira de recusar uma proposta destas.

Sentes que #AquiNaoEsMaisUm?

GM - Sim, sinto! Sinto-me especial, tratado com carinho e estão sempre a motivarr-me  para poder estar no máximo e poder jogar da melhor forma possível.

"Sinto-me especial, tratado com carinho"

As cores do Estoril Praia  são o amarelo do sol e azul do mar, encontras algum significado destas cores na tua vida?

GM - Sim. O amarelo do sol significa o meu optimismo, a minha alegria e felicidade jogar futebol. O azul do mar a força de lutar pelo meu sonho.

Qual o balanço que fazes, para já?

GM - Faço um balanço positivo. Sinto que ao longo dos jogos fui crescendo e isso torna-me muito mais forte. Sei que preciso de continuar  trabalhar. Tenho isso muito claro porque só assim irei concretizar todos os meus objetivos.

Quais os objetivos que ainda gostarias de concretizar no Estoril Praia?

GM - Um dos meus objectivos é integrar a equipa principal sénior.

 


Comments

  1. Francelino lima - Janeiro 6, 2018 a 12:02 am

    Boa sorte e corre atrás amigo

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *