Iniciados B: Um trampolim feito de “humildade e respeito”

Agosto 28, 2017

Marco Nascimento reuniu esta segunda-feira a equipa de Iniciados B - Sacolinha para o primeiro dia de trabalho. O treinador quer fazer do grupo de 1º ano um trampolim de "entrega, humildade e respeito" tendo em vista o campeonato nacional no próximo ano. A ideia é formar, aperfeiçoar e cultivar nos jogadores o ADN do clube. "Cada um sabe que é importante na equipa, que a sua função acrescentará valor ao colectivo", resume.

Como é que se explica a um jogador que equipa B não quer dizer mais do que equipa de 1ºano?

Mais do que serem jogadores de 1º ano, são jogadores de um Estoril Praia que aposta na formação multidisciplinar de cada um deles. Faz parte do processo de evolução dentro do clube passar por todas as etapas e objectivos definidos para cada escalão. E iniciados B é apenas um desses escalões em que existem objectivos que são parte essencial e integrante de todo o processo.

O teu percurso no clube está muito associado ao futebol de 7. É muito diferente abraçar agora este projecto?

Este é o segundo ano em que estou no futebol de 11, mantendo assim os iniciados B. Como costumo dizer, futebol é futebol. As ideias, os conceitos, as metodologias não alteram, o que muda claramente é o número de jogadores, aumentando assim a complexidade do jogo, e isso obriga-nos a um maior detalhe na hora do planeamento.

Já estamos em condições de falar de objectivos para a próxima época?

O principal objectivo é preparar os nossos atletas colectivamente e sobretudo individualmente para puderem no próximo ano competirem no campeonato nacional. Tendo em conta que somos uma equipa de 1º ano e jogamos num campeonato maioritariamente com equipas de 2ºano, em que as diferenças físicas são enormes, valores como a superação, a entrega, a humildade, a lealdade e o respeito (por todos os intervenientes no jogo) são essenciais para criarmos jogadores mais capazes para competirem no nosso clube.

Qual deve ser o foco nestas primeiras semanas?

Este ano foi necessário um reajuste nesta geração o que nos obrigou a algumas mexidas no plantel, em que metade da equipa veio de fora. Logo, o período pré-competitivo será essencial para passarmos a nossa ideia de jogo, para que todos consigam interpretar da melhor maneira possível o nosso jogar, ficando assim com uma base para trabalhar e desenvolver as competências necessárias dos nossos atletas.

O clube assume como sua imagem de marca que aqui ninguém é mais um. Qual é a responsabilidade do treinador na concretização dessa ideia?

Neste clube nunca serão mais um, serão sempre tratados de uma forma única, respeitando a sua individualidade, quer a nível de personalidade, quer a nível de jogo e da sua criatividade. Cada um sabe que é importante na equipa, que a sua função acrescentará valor ao colectivo. Só assim poderemos formar equipas fortes com um grande compromisso ao clube.


Comments

  1. Francisco Braga - Agosto 29, 2017 a 8:52 am

    Mais uma excelente entrevista! Um abraço ao Marco, um grande treinador Estorilista, que já me treinou no FUT4ALL

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *