Mudança e crescimento no Basquetebol

Junho 7, 2017

A nossa equipa de basquetebol (modalidade mais antiga do clube extra-futebol) realizou uma temporada muito interessante, que acabou por ser a melhor da última década na secção.

A época começou com mudanças a nível de direcção, com o jovem Gonçalo Alemão a assumir o cargo de director desportivo. Alemão foi ex-atleta do clube, tendo feito a sua formação no clube, assumindo agora as rédeas da secção. Outra mudança importante foi o regresso ao Pavilhão de Alcabideche, uma casa cheia de boas recordações, com vários jogos da 1ª Divisão de basquetebol ali disputados na década de 90. O comando técnico da equipa continuou entregue a Henrique Palmeiro, tendo Luís Reis como adjunto.

A época não começou bem, com derrotas expressivas frente a Algés e CB Queluz, mas com a chegada de reforços e melhor entrosamento a equipa foi crescendo gradualmente, tendo sido a vitória em Alcabideche sobre o GDEMAM o clique que a equipa precisava, acabando a fase regular do CNB1 em sétimo lugar, com 5 vitórias e 11 derrotas. Destaco as vitórias expressivas em casa frente a Salesianos OSJ e fora contra os nossos vizinhos Salesianos do Estoril. A equipa do Estoril foi sempre um osso duro de roer, deixando muito boa imagem principalmente nos jogos em casa, onde as duas das melhores equipas da série, SIMECQ e CB Queluz tiver de sofrer para sair com a vitória.

Seguiu-se depois a participação na Taça Nacional, onde a equipa mostrou toda a sua capacidade, num grupo difícil com CBQ, Salesianos OSJ e Salesianos do Estoril. Cinco vitórias e apenas uma derrota, que infelizmente foi suficiente para ditar a eliminação. Destaco a vitória épica em casa frente ao Queluz, num jogo em que o espírito de equipa valeu uma vitória por três pontos, isto depois da equipa ter estado todo o jogo atrás no marcador e iniciado o último período com 8 pontos de desvantagem.

Numa equipa que vale pelo seu colectivo gostava de destacar Pedro Figueira. O nosso base, capitão de equipa, líder dentro e fora de campo foi sempre o inspiração que a equipa precisou. Quem também este muito bem e em crescendo foi o extremo/poste Pedro Guimas, tal como Guillame Lalung (fortíssimo nos ressaltos) e Ricardo Moreno.

Esta foi uma época que fica para história, e mostra que a modalidade está para ficar e tem tudo para crescer. Venha 2017/18!

Texto: Tiago Espadinha


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *